Sexta, 14 Julho 2017 16:20

DIA DO COMERCIANTE Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(6 votos)
Yure Mezaque -  Oficina Ceará Yure Mezaque - Oficina Ceará Józimo Macêdo

O ramo do comércio de reparação e manutenção de veículos automotores e motocicletas lidera o ranking local, com um crescimento de 12%

 

Neste domingo, 16, é comemorado o Dia do Comerciante. Um momento alusivo a grandes conquistas, porém, regadas a muitos momentos de dificuldades no Brasil. Mas será que, em Roraima, há motivos para comemorar?

 

De acordo com o assessor Econômico da Federação do Comércio de Bens, Turismo e Serviço do Estado de Roraima (Fecomércio-RR), Fábio Rodrigues Martinez, sim. Embora o setor local, como em toda a parte do país tenha sido afetado recentemente com a grave crise econômica mundial vivida nos últimos anos.

“É importante destacar que o setor do comércio passa por um momento de melhora, pois desde abril deste ano, com a estabilização da inflação, o comerciante, bem como o consumidor passaram a interagir de forma mais frequente entre eles”, destacou.

Segundo Martinez, as atividades abrangidas pela Fecomércio-RR representam 25% do total da economia de Roraima, estando atrás apenas da Administração pública. Porém ele afirma que, os empresários do comércio de bens, serviços e turismo são responsáveis em  gerar  64 mil empregos, mais que o poder público, conforme dados recentes coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Ele justificou ainda que, além da participação significativa na economia local, as atividades econômicas vinculadas ao Fecomércio-RR apresentaram crescimento real acima da média do Estado. Enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) de Roraima registrou crescimento de 2,5% em 2014, das ações vinculadas ao Fecomércio-RR cresceram 7,4% no mesmo período.

“Podemos afirmar que apesar dessas dificuldades, que ocasionou a diminuição das arrecadações do Estado nos últimos anos, o comerciante local não chegou a sentir de forma intensa esse baque na economia, quando comparado a Zona Franca de Manaus, que vem sendo prejudicada com o problema. E hoje, com o retorno do aumento de tais arrecadações em 10%, ficando bem acima da inflação, no período que é de 3%, fez com que houvesse uma estabilidade econômica”, explicou.

Para o assessor econômico, a crise financeira acabou colaborando para o aumento da concorrência, principalmente com a vinda de empresas locais para o Estado. “A concorrência é vista como positiva, tanto para quem vende, quanto para quem consome. O poder aquisitivo aumenta e, ao mesmo tempo é aberto um leque de opções para ambos, com preços mais justos e facilidades de compras”, informou Martinez, afirmando que o setor do comércio de reparação e manutenção de veículos automotores e motocicletas, lidera o ranking, com um crescimento de 12%, seguido das atividades imobiliárias com 10%, e o de alojamento e alimentação com 3%.

Outro fator positivo feito pelo assessor da Fecomércio-RR, diz respeito a renda per capita roraimense é a segunda mais alta da Região Norte.

“Vale ressaltar que o poder de compra do povo roraimense é um dos mais altos, se comparado aos outros estados. O que resulta na vinda de empresas e pessoas de fora”, finalizou.

 

Fonte: Ascom/Fecomercio - RR

Ler 62 vezes Última modificação em Sexta, 14 Julho 2017 18:08